Ter ou não ter... eis a questão.


Hello,


Queria agradecer os comentários e desejos de boa sorte e sucesso nos post anteriores sobre nossa futura casa, que por sinal ainda está em fase de negociação. Obrigada pelo apoio!!

Mas nesse post também vou falar da nossa dúvida em adotar um cachorro. Acho que a grande maioria das pessoas iriam me dizer TER! um animalzinho de estimação é uma grande alegria para uma familía ou para qualquer um. Nós estamos tendo uma batalha mental em decidir não tanto se queremos, mas sim quando adotar um bichinho.


A minha dúvida é a seguinte, o que fazer com o cachorro se vamos viajar para longe, por exemplo. Para quem é imigrante sabe da necessidade de se visitar o Brasil de tempos em tempos. Outra coisa é o fato de ainda por cima, adorarmos viajar, não somente para o Brasil, então o que fazer com o mascote se decidirmos dar um pulinho em Las Vegas, por exemplo (hahaha... podre de chique o meu exemplo).


E outra coisa, deixar o bichinho sozinho na maior parte do dia, pois ambos trabalhamos, não parece judiaria?

Ai, ai, ai...


Mas pelo lado bom, um bicho de estimação traz várias alegrias... Vira mais um integrante da família, um amigo, um motivo para remover a preguiça e sair passear no domingo a tarde e no inverninho canadense e entre muitas outras coisas.


Eu sempre quis ter um mas ainda não decidimos. Por enquanto vamos pesquisando os canis e pet shops que vendem por aqui para ir namorando as raças e estarmos prontos para quando chegar a hora...hehehe


Abraços,

4 comentários:

  1. Oi Adri !!!

    Bom, eu sou muito suspeita pra falar de bixos pq sou extremamente amante de animais. Eu não pensaria 2x em adotar sim. O fato de se passar o dia fora de casa nao vai ser nenhum agravante desde que seu animalzinho seje bem tratado, com bastante carinho diários porque ja li em muitas revistas e a vet. dos meus bixinhos sempre dizia que bastam 30 minutinhus de chamego pra eles se sentirem felizes e amados. Assim como todo zelo que um bixinho necessita ( e conforto tb , hehehe )., inclusive alguns passeios quando vcs chegarem , nos finais de semana...não é tão custoso assim, ter um bixinhu dentro de casa nos traz sempre muita alegria, risadas, dedicação e ensinamentos sim.
    Quanto a viajar, tem muitos hotéis que aceitam pets, aliás os americanos são fascinados com cachorros, gatos, etc e não é difícil achar um hotel aonde seu pet tenha entrada livre. Acredito que em terras canadenses possa ter tb. A minha sugestão é que adotem sim, com certeza vale a pena.

    Grande abraço
    Ninha e DO

    ResponderExcluir
  2. Oi queridos. Sempre é maravilhoso ter um bichinho em casa. Escolhendo bem a raça (menos pintcher)vcs vão se dar bem com certeza. Aqui tudo entrando nos eixos. O Paulo Vitor já mora em POA desde o começo do mês. Está super feliz com a nova vida (já faz comida e lava roupas em casa). ele divide o ap com um colega que faz o mesmo curso e é de Passo Fundo. Acho que vai dar certo. Estou torcendo por isso. Um abraço bem apertado e cheio de saudades. Tia Lili.

    ResponderExcluir
  3. Oi Adri e Diego!

    Já devia ter escrito a um tempo, mas o marido doente em casa não me deu folga...aliás por isso mesmo já deveria ter escrito pra deixar o jantar aqui em casa pra semana que vem se vcs não forem fazer nada.
    Gostei de ver vcs respondendo o meme! =)
    Quanto ao amigo peludo, nós podemos cuidar quando vcs viajarem sem problemas! Se por um acaso coincidir da gente viajar na mesma época, dá uma olhadinha nesse site: http://www.lovingpaws.ca/
    Como o bichinho vai passar a maior parte do tempo sozinha, é melhor optar por uma raça menor, que não exija tanto exercício ou atenção. O comprimento do pêlo tb é algo a ser considerado, dependendo da raça, tem que ser tosado todo mês o que implica num gasto a mais, sem contar nos pêlos espalhados pela casa.

    E nada contra cães, mas quando vcs conhecerem nossas gatinhas vcs vão querer um gato...rs

    Beijos,
    Ju

    ResponderExcluir
  4. olha, eu pensava sobre isso qd um gato apareceu perdido na garagem e adotei. depois ele ficava meio sozinho mesmo e dava dó. aí apareceu uma gatinha na rua, e adotei. hj eles se amam, se cuidam, e fazem companhia um pro outro (óbvio q castração nos dois!). já viajei duas vezes e encarreguei amigos de vir todo dia alimentá-los e brincar um pouquinho com eles. deu tudo certo e é uma alegria só. a maior alegria mesmo é saber q resgatei dois seres fofos das ruas, onde tinham/teriam uma curta vida de fome, frio, sede e medo. eles são muito felizes aqui, mesmo sendo um ap pqno, e recebem muito amor.

    boa sorte

    ResponderExcluir