Semana Ano 2: Faltam 2 dias...


...para completarmos 2 anos de Canadá. Pois é, está passando muito rápido, mas ao mesmo tempo muita coisa aconteceu desde então. Estou preparando uma retrospectiva para quinta-feira, mas eu pensei de comentar sobre algumas coisas a partir de hoje, não criando um post quilométrico na quinta... hehe. Pode ser que muita coisa eu até já tenha comentado aqui ou ali...

- Moradia: Nesse segundo ano foi quando adquirimos nossa primeira casa, home sweet home. Mas financiada né gente, porque vir pro Canadá não é sinônimo de dinheiro fácil ou de deixar de ser pelado ($$) de uma hora pra outra. hehe
Estamos morando em Gatineau agora, mas começamos morando em Ottawa, o que eu recomendo para quem está vindo. Razão principal: disponibilidade de locomoção, já que imigrande fresco precisa bater perna, voar as tranças por aí e tal. Pra nós foi super conveniente morar perto de uma estação de ônibus grande (Lincoln Fields), onde podíamos basicamente pegar o busão para qualquer canto da cidade.

- Emprego: Acho que o importante é não se acomodar, sendo a sua profissão daquelas em demanda ou daquelas nem tanto. Super manjado esse comentário né, mas no fim é isso que funciona.
Nós dois aqui, mesmo empregados, estamos sempre de olho em outras coisas, novas vagas, oportunidades etc. Se sua carreira precisa de licença por aqui, ache um nicho onde você possa utilizar suas qualificações ou começe a pensar o que mais você gostaria de fazer e que esteja possivelmente em demanda.

- Comida: Se acha de tudo um pouco por aqui. Mas não tem tudo que tem no Brasil, afinal, não estamos no Brasil, certo! Eu não sinto falta de quase nada com relação à comida. Até o churrasquinho já está suuuper parecido...
Tem que vir com a mente aberta a novas misturas, rearranjos e novos sabores, principalmente asiáticos, dos quais já somos super fãs agora.

- Língua: A gente vai melhorando a cada dia que passa. O que sempre aumenta tambem é a minha noção de o quanto eu não sabia antes de vir (isso que eu tinha consciência que precisava aprender muiiito). Na maioria dos casos, se achar fluente em inglês morando no Brasil, não tem nada a ver com ser realmente fluente quando se chega aqui. 
No francês, eu diria que é a mesma coisa, especialmente porque o francês quebecois pode soar bem diferente do francês da França. Já ouvi franceses dizerem que ás vezes não entendem... imagina só eu.
Estando no Quebec e ouvindo mais frequentemente, começa a soar mais familiar. Até já conseguimos trocar umas frases curtas :).

- Adaptação: Nos sentimos cada dia mais mais parte desse mundinho aqui no hemisfério norte. Já consideramos nosso lar doce lar.
Mas adquirimos uma síndrome nesses 2 anos e ela vem incontrolavelmente se alastrando. Peraí, não se apavorem que eu explico...
Estamos com a recém batizada, Síndrome da Inconformidade. O negócio é o seguinte: quanto nos tornamos imigrantes, nossa vida recebeu uma mega enchurrada de novidades, quase todas ao mesmo tempo (país novo, nova língua, nova indentidade, digo, documentos, não mudamos de nome não, nova moradia, empregos, saudades, viagens etc). Com o passar dos meses, as novidades foram se espaçando mas estiveram sempre presentes e continuam regulares até os dias de hoje. Resultado: estamos viciados em novidades... ficamos inconformados em passar um mês sequer em "branco". Lado bom é que estamos sempre pró-ativos em busca dessas novas coisas, mas como efeito colateral, ficamos um pouco frustrados com a rotina, dura e pura do normal cotidiano. E eu, com meu anormal nível de ansiedade aliado à síndrome, tenho me achado subindo pelas paredes tentando achar um momento de paz mental (hã?!). Será que tem cura ou tratamento?

- Frio: Já não é mais um bicho de sete-cabeças, mas claro, demanda sempre mais trabalho. É um veste casaco, luva, manta, touca, calça botas toda vez, daí tira tudo pra ficar dentro dos lugares e põe tudo de novo pra sair. Dirigir com paciência e cuidados redobrados e se acostumar com bem menos horas de luz do dia.
Mas ainda é divertido e aconhegante e estamos curiosos pra ver esse próximo inverno, já que inverno 1 foi record de neve e inverno 2 foi moderado, e como vai ser agora morando em casa.


- Crise econômica: O Canadá foi sim afetado pela recente crise econômica. Sorte que nós mantivemos nossos empregos, mas dá pra notar o abalo nas empresas, demissões em massa e reduções de salários. Outra coisa que eu notei foi que a quantidade de vagas de emprego em geral diminiu consideravelmente (na minha área já nao eram muitas, agora são quase nulas).


- Planos para ano 3: Olha, pessoalmente, uma das coisas que quero é fazer avanços na minha carreira. Fato é que eu não sei exatamente o que e nem como... hahaha.. Já viu que parte do ano vai ser de achar o foco e organizar as trocentas idéias que passam pela minha cabeça.
No geral, dieta de engorda para a conta bancária pra começar ontem, mais algumas viagens (salta mais um bacon com ovo pra conta bancária), cuidar e educar nosso bichinho, o Dex, continuar a montagem/mobília da casa e sei lá o que mais que a vida nos reserve...


- Saudades: Essas continuam iguais ou ainda maiores. Família da gente é sem dúvida insubstituível. Ano 3 ou 4 terá casamento por lá (voaremos pra lá na segunda metade de 2010) e visitantes aqui... eba...


Beijos grandes e até quinta...

Um comentário:

  1. Muito legal as colocações de vcs. Nós estamos no rumo ao MÊS 4 e ainda muitas águas vão rolar.
    É muita ansiedade, muito stress, mujita coisa boa e outras nem tanto, mas está valendo a pena.
    Parabéns pelos 2 anos!
    Renata

    ResponderExcluir