Os prós de imigrar para o Canadá


Eu sei por experiência própria, que mudar de país a longo prazo não é uma decisão fácil. Você vai se afastar de tudo que conhece, que se acostumou por um bom tempo (senão sua vida inteira até agora), carreira, casa, amigos e família, pra ir rumo ao desconhecido (por mais que você conheça a cidade pra onde está indo, morar é bem diferente de visitar). 
Esse post vai para aqueles que estão na fase de colocar na balança os prós e os contras de sair do seu país de origem e vir pro Canadá. Não é um comparativo Brasil x Canadá, nem com nenhum outro país, é simplesmente o meu ponto de vista sobre muitas das coisas que pesaram na nossa decisão de imigrar e outras que só descobrimos depois que chegamos aqui, e que fizeram a gente ter certeza que tínhamos tomado a decisão certa. 

Minha opinião é que imigrar não é pra qualquer um. Você precisa ter perseverança, despreendimento de status e coisas materiais e estar aberto ao incerto. O processo de imigração é trabalhoso e exaustivo, para que você possa obter o visto de residente permanente e assim, poder vir e ficar aqui o quanto quiser. 
Pretendo escrever um post com os contras de vir pro Canadá também, para balancear adequadamente as idéias - já tá no forno!


Logo depois do impacto inicial depois da nossa chegada em 2007, quando tudo era tão novo e desconhecido, eu virei ,de fato, grande fã do Canadá, por alguns dos quesitos abaixo (sem ordem de importância):



Sistema de saúde público 

Assim, nem tudo é perfeito, mas o fato do sistema público e gratuito funcionar ainda me espanta.
Nós conseguimos um médico de família e vamos nesse clínica para o que precisar (que não seja emergência). Não é nada sofisticado, mas se ligar e marcar com alguns dias de antecedência, podemos ter a consulta com nossa médica, senão dá pra ir na walk-in clinic (por ordem de chegada - você entra, se registra, espera e é atendido por um dos médicos disponíveis). Tudo sem custo.
Assim também como o atendimento de emergência em hospitais, prenatal e parto. Dentro da normalidade, você não paga nada (well, paga os impostos né - que não são baratos - mas enfim!)
Tá certo que o sistema público não cobre tudo e por isso tem plano de sáude, pra dentista, massagem, desconto em medicamentos etc e tal.


Economia relativamente estável

Apesar da economia do Canadá ser fortemente atrelada a dos poderosos vizinhos, os Estados Unidos, a economia tem se mantido relativamente estável nos últimos anos. Isso garante empregos e tantas outras coisas pra expatriados, especialmente. Uma das coisas que eu acho fantástica é que preço dos combustíveis caem e sobem, de acordo com o preço do petróleo. Cheguei a pagar combustível $0.949/litro, em fevereiro deste ano.
O custo de vida, salvo algumas áreas do país, parece ser melhor balanceado com os salários. Os juros são baixos e você pode financiar a compra de casa e automóveis.



Imigração

Acho incrível a possibilidade de você vir morar legalmente em outro país. Não é fácil, não é barato, mas é gratificante saber que você escolheu o país e o país também, de certa forma, te escolheu.

No dia da nossa vinda definitiva para o Canadá - de mala e cuia!



Diversidades culturais e a imigrantes

Mais uma das vantagens do Canadá ter o processo imigratório, a multiculturalidade é imensa e a partir dela, o respeito e a receptividade a diferentes hábitos e custumes, raças, crenças e estilos de vida.
Você encontra aqui culinária do mundo todo, eventos de diversos países e vai provavelmente ouvir mais que 3 línguas num único dia.



Oportunidades

O Canadá é o segundo maior país do mundo em território e o 37º em população no mundo (aproximadamente 35.5 milhões). Logo, eu imagino que o país está em crescimento e tem muito a oferecer pra quem vem preparado.


4 estações do ano

É bem bonito de ver as estações indo e vindo por aqui. Tá certo que lá nos territórios o bixo pega (e ao bixo, eu me refiro ao frio), mas nas províncias temos uma primavera florida, um verão talvez um pouco curto pro meu gosto, mas bem quente, um outono lindo e colorido e um inverno nevado e frio. Dá pra esperimentar de tudo um pouco.

Outono, inverno, primavera e verão - tem um pouco de tudo - fotos daqui de Ottawa.


Bilingual

Não é em todo o Canadá que se ouve inglês e francês tão juntos, como aqui em Ottawa. Apesar de  eu não falar bem o francês tão bem como gostaria, acho que a oportunidade de conviver com mais uma língua é super válida. Nossas filhas terão a oportunidade de serem trilíngues, naturalmente.



Segurança

Nos últimos anos tivemos aqui uns dos menores índices de crimes da história do país. Pra se ter uma idéia foram 7 homicídios em Ottawa em 2014. A maioria dos incidentes são roubo, excesso de velocidade, jovens violadores e crimes na internet e coisas do tipo.
Esses números baixos de crimes e violência foram um fator decisivo quando pensávamos no nosso dia-a-dia e no futuro da nossa família.




Menos consumismo/aparências

Uma coisa que eu acho ótimo por aqui e que estranho na verdade quando vou ao Brasil é quanto as pessoas não dão tanta bola para aparências. Aqui, por exemplo, você pode ir de pijama no supermercado (o que eu já acho meio exagero, mas enfim) e ninguém vai reparar (...muito). As pessoas não se afundam até o pescoço pra sempre ter o carro do ano, ou só usar roupas de marca ou ter os mais recentes eletrônicos.
A graaaande maioria das minhas conhecidas aqui não fazem a unha toda a semana e raramente vão ao cabeleireiro fazer uma escova, incluindo eu. Absolutamente nada contra isso, mas não há uma ditadura de beleza e status, todo mundo é muito mais livre pra viver sua vida sem se preocupar com o que os outros vão pensar.



Família

O fato de o Canadá ter tantas áreas verdes, parquinhos e na maioria, boas escolas, é um excelente ponto positivo para aqueles que já tem filhos ou pretende ter. São 14 anos de estudos no mínino (inclui jardim e pré, até o último ano do ensino médio), potencialmente, de graça (também há a opção escolas particulares, que não são grátis) e diversas atividades de baixo custo ou gratuitas, patrocinadas pelas prefeituras e províncias.
Também tem a questão de um melhor balanço entre trabalho e família. Não que as pessoas não trabalhem bastante por aqui, mas o dia de trabalho parece ter mais um começo e fim (com exceções: tipo o meu marido!), dando mais tempo pras pessoas curtirem a família durante a semana. E os empregadores parecem ser mais flexíveis em relação as obrigações dos pais, tipo horários de pegar na escola, ficar ou trabalhar de casa quando os filhos ficam doentes, ir ao médico etc.

//

Well, é isso, talvez tenham mais coisas a acrescentar, mas estes são os principais na minha opinião. Daqui há uns dias eu termino de escrever o contras do Canadá e posto aqui, aguardem... :)

Icons by Freepik