Processo para ser arquiteto no Canadá


Pra quem acompanha o blog ou me conhece um pouco mais sobre nós sabe que sou formada em arquitetura e urbanismo e trabalho na minha área aqui no Canadá há mais de 8 anos. Consegui meu primeiro emprego aqui pelas terras geladas com pouco mais de 1 mês depois de ter chegado.
Pretendo escrever um pouco como é o mercado de trabalho nessa área aqui em Ottawa em um outro post, mas não poderia deixar de citar aqui o processo de validação do diploma de arquiteto no Canadá, já que é uma das perguntas que mais recebo tanto pelo Facebook como pelo blog aqui mesmo.
Saliento que eu não fiz o processo e bem provavelmente nem vá fazer, visto que acho bem difícil cumprir muitos dos critérios exigidos para a obtenção do "carimbo" de arquiteto e eu poder, legalmente, me entitular como tal por aqui. Também não acho vantagem para mim no momento, especialmente com filhos pequenos e não tendo tanto tempo para me dedicar a esse lado da carreira. 

Como já comentei em um outro post, um arquiteto estrangeiro não tem direito de trabalhar ou se entitular como tal aqui no Canadá. Mesmo os arquitetos graduados em instituições canadenses tem que passar por um processo pra obter o título de arquiteto e poder assinar obras e projetos.
Para um indivíduo poder virar arquiteto completo aqui, são duas etapas:

1. VALIDAÇÃO DO DIPLOMA: também chamado de reconhecimento do diploma, onde basicamente que o órgão regulamentador aceite que, sim, você estudou arquitetura e que o que você viu no seu curso contam para a profissionalização por aqui e seu diploma é valido.

2. PROCESSO DE LICENÇA: com seu diploma aceito, você precisa ainda passar por diversas etapas para provar que está apto a exercer a profissão no Canadá. Tanto na teoria como na prática.

O CACB (Canadian Architectural Certification Board) que é o órgão regulamentador da profissão no Canadá, tem um processo chamado de BEFA (Broad Experienced Foreign Architects) para validação do diploma que demanda, em resumo:
  • Que o candidato tenha se graduado formalmente como arquiteto no país de origem;
  • Que o candidato tenha exercido a profissão no seu país de origem;
  • Que o candidato tenha pelo menos 7 anos de exercício após graduação nos últimos 10 anos.
  • Que o candidato obtenha pelo menos 6 meses de experiência canadense relevante antes da entrevista de avaliação que é parte do processo. E esta experiência deve ter sido obtida não mais de 3 anos antes desta entrevista.
  • A experiência canadense em questão deve ser supervisionada e dirigida por um arquiteto registrado/licensiado no Canadá, dentro da província que o candidato irá requerer o registro.
  • A experiência canadense requerida é aquela que expõe o candidato à prática e regulamentações da arquitetura no Canadá. 
Além disso, você deve enviar as papeladas acadêmicas (diploma, desempenho) em cópias registradas e traduções juramentadas. Também é requerido o currículo (que vai mostrar uma visão geral da sua carreira como arquiteto) e um portifólio.
Pra complementar, é exigida uma auto avaliação do candidado, que deve ser completada online e abrange 12 áreas da prática de arquitetura no Canadá. 
Após todas estas etapas e verificada a elegibilidade do candidato, uma entrevista será marcada, onde haverá uma banca de arquitetos que irão debater e verificar parte das questões da auto-avaliação e parte da experiência profissional do candidato no país de origem e no Canadá. O candidato deve trazer 3 projetos em qual participou (não aceitos em formato eletrônico) para a entrevista para serem debatidos com a banca. A proficiência em inglês ou francês será será avaliada durante a entrevista.

Após a entrevista e comprovado o sucesso do candidato, o mesmo receberá um certificado de BEFA (Broad Experienced Foreign Architect) e poderá, junto ao CACB, entrar no processo de licença, junto ao órgão provincial.

Custos:
- Avaliação de elegibilidade - CAN$ 847.50 (taxas inclusas)
- Auto-avaliação - CAN$ 2,825 (taxas inclusas)
- Entrevista - CAN$ 1,695 (taxas inclusas)

As taxas não são reembolsáveis.

Estas etapas são para o diploma ser validado no Canadá de forma legal. Após ter efetuado todas as etapas com sucesso, você deve se inscrever pra a licença junto a província que pretende atuar. Eis o resumo dos passos para a província de Ontario:

  • Ter um diploma de arquitetura;
  • Ter o diploma/educação reconhecido pelo CACB (processo descrito acima);
  • Ter completado o curso de admissão oferecido pelo OAA (CAD$350);
  • Ter completado com sucesso um dos seguintes exames: 
  1. ExAC (Examination for Architects in Canada) pelo OAA (Ontario Association of Architects);
  2. ou, ARE (Architect Registration Examination) pelo NCARB (National Council of Architecture Registration Boards);
  3. ou, uma combinação de exames pelo OAA ou NCARB, que seja considerada válida (meio vaga essa...)
  • Ter um total de 3720 horas de experiência arquitetônica (registrados sob os termos do Intern Architect Program (IAP) (parece que parte da experiência no seu país de origem pode valer). Essa experiência deve incluir pelo menos 940 horas sob supervisão de um profissional licensiado em Ontario (um mentor, também prerequisito) durante os últimos 3 anos. Pelo menos 2780 horas tem de ser sob a supervisão de um profissional habilitado/licensiado a praticar arquitetura no Canadá.
  • Ser considerado um bom sujeito, sem antecedentes criminais.
  • Pagamento das taxas (não consegui achar o valor desta segunda parte);

Ok, phew! Longo processo! Eu ainda não me animei...

Eu entendo completamente que não é certo deixar um arquiteto formado em outro país, simplesmente chegar aqui e sair construíndo coisas. O sistema construtivo e tudo mais envolvido é muuuito diferente. Até acho que o Brasil deveria ter uma espécie de exame pra entrar pra ordem dos arquitetos, de forma a selecionar melhor os profissionais formados (que diga-se de passagem, não é só porque a pessoa se formou que está apta a desempenhar a função, right?!). Mas também acho um pouco extenso esse processo aqui no Canadá, especialmente a parte de conseguir essas trocentas horas de experiência sob um profissional licenciado. Você vai tentar uma vaga pra intern, aí eles pedem experiência canadense e pra ter experiência canadense você precisa ter um emprego na área e a bola de neve só cresce.
Enfim, não é impossível, mas é trabalhoso, custoso e tem que ter sorte de conseguir entrar num escritório de arquitetura aqui logo de cara e onde os chefes não se incomodem de estar "formando" mais competição (já ouvi que tem disso aqui em Ottawa, infelizmente).

Vale lembrar que urbanismo é uma profissão separada da de arquiteto por aqui e tem um órgão regulamentador separado, o CIP (Canadian Institute of Planners), assim como paisagistas, com seu órgão OALA em Ontario.

Beijos e até!