10 fatos sobre restaurantes no Canadá


Está para fazer 10 anos da minha primeira viagem ao Canadá, em 2006, e concidentemente, era a minha primeira viagem de avião e a primeira internacional (sem contar Paraguai... hehe). Nem preciso dizer que tudo foi novidade e muita coisa soou como surpresa pra mim naqueles quase 15 dias em British Columbia (veja um pouco daquela viagem aqui...).
Me lembro bem que eu não entendia direito o que os garçons falavam (porque eu achava muito rápido e tudo muito novo). Nunca esqueço do dia que o atendente queria retirar o meu prato e perguntou se eu tinha terminado, com a frase: Are you still working on that? (você ainda está lidando com isso aí?) e eu entendi bulhufas (tradução de bulhufas: nadica de nada) hehehe. Ainda bem que o Diego já tinha experiência internacional e o inglês bem melhor que o meu e me salvou o meu prato antes de eu terminar minha refeição (isso foi, mais precisamente, no restaurante Stepho's Souvlaki Greek Taverna, na Robson Street em Vancouver - alguém conhece? hehehe)

1. FAÇA RESERVA SEMPRE QUE PUDER
Aqui a maioria dos restaurantes aceitam clientes sem reserva, porém em dias e horários de pico e especialmente no centro de Ottawa, há muitos minutos, senão horas de espera se você deixar para escolher de última hora. Sexta e sábado à noite são os dias mais concorridos e como o pessoal aqui janta cedo geralmente, o horário de pico é por volta das 6 da tarde.


2. VOCÊ NÃO ESCOLHE A PRÓPRIA MESA

Fonte: Google

Chegando no restaurante escolhido, a grande maioria deles indica esperar até você ser recebido por um atendente perto da porta. Pode até não ter a plaquinha (wait to be seated), mas na dúvida, sempre espere alguém te receber e te levar para a mesa.
Se você tem uma preferência de onde quer sentar (tipo no pátio, bar ou mesas dentro), é aí que você indica e a pessoa responsável vai tentar te ajudar, senão, você vai ser levado à mesa que eles escolherem, simples assim.

3. ÁGUA GRATUITA
Logo que você sentar à mesa, a primeira pergunta será o que quer de beber, sempre. Claro, você pode dizer que precisa de mais tempo para pensar ou analisar o menu de bebidas, mas na dúvida, água é sempre gratuita. Mas eu explico, é água de torneira à vontade gente. De boa qualidade, mas é da torneira mesmo, com gelo (e raramente com limão).
Você pode pedir água com gás (sparkling water) ou simplesmente água de garrafa (bottled water), mas aí, óbvio, não é gratuita.

4. MENU BILINGUE
Muitos menus tem os pratos descritos nas duas línguas, mas vemos mais e mais restaurantes que optam por ter alguns menus separados para inglês e francês. Você pode pedir um ou outro, dependendo da sua preferência.

5. MENU e ATIVIDADES PARA CRIANÇAS

Menu para crianças - no verso tem desenhos para colorir e jogos para brincar

Eu acho que a maioria esmagadora dos restaurantes na cidade, mesmo os mais requintados, tem um menu separado para a criançada. Claro, as opções são quase sempre as mesmas, pratos tipo hambúrger com batata frita, frango empanado, massa com molho vermelho e almôndegas ou só manteiga e sanduíche prensado de queijo com uma opção de acompanhamento, tipo legumes crus, pão torrado ou outra coisa.
Geralmente o menu ainda oferece uma bebida (leite, leite achocolatado, refri ou suco) e ainda uma sobremesa por um valor fixo, na média de CAD $7.
E para acompanhar a refeição, logo que as crianças se instalam nos seus devidos lugares, recebem o menu e uns giz de cera,  involvendo no verso atividades de pintura, joguinhos ou espaço para desenho, como forma de passa-tempo, enquanto a comida não chega.
Alice e agora a Diana também, adoram e se divertem com as coisas que recebem para brincar (alguns restaurantes tem livros de atividades mesmo,coroas, barcos para montar etc... bem legal).


6. LEVANDO AS SOBRAS PRA CASA
Se você já almoçou ou jantou pela América do Norte deve saber que as porções são avantajadas. Eu geralmente digo que dá pra duas pessoas comerem com a quantidade de comida que vem (especialmente nos Estados Unidos). Eu diria que no Canadá as coisas são um pouco mais moderadas, mas quase sempre sobra pra nós, no prato de um ou do outro, além das meninas que nem sempre terminam o que pedimos pra elas.
Super comum aqui é pedir um potinho descartável e levar o que sobrou, sendo perfeitamente aproveitável no dia seguinte. Não é vergonha, não é coisa de "pobre" e os garçons geralmente já oferecem se vêem que sobrou muita comida. 

7. CONTA = BILL
Eu me lembro de ter aprendido pedir a conta como : The check, please? nos meus tempos de aulas de inglês no Brasil e isso realmente se confirma nos restaurante americados, mas no Canadá se ouve bem mais o: The bill, please?.


8.  RECEBER A CONTA SEM PEDIR

Não é difícil encontrar situações onde você vai sequer precisar pedir a conta. Muitos restaurantes tem a política de pedir, após a refeição, se você quer sobremesa ou alguma outra bebida, se você disser não, pode ser que a conta apareça logo logo na sua mesa. A garçonete (ou garçon) geralmente vai te dizer que não tem pressa, mas já está ali pra quando você quiser acertar.

9. GORJETA
No Canadá, não sei de gorjeta é de fato obrigatória por lei, mas todos os restaurantes esperam um extra de cerca de 15%. Muitas vezes já aparece a opção na máquina do cartão de crédito e você pode escolher por porcentagem ou valor, e se for pagar em dinheiro, pode deixar o valor extra no caderninho da conta ou deixar o "troco"como gorjeta.
Vale lembrar também que há os 13% de taxas não estão inclusos no valor dos pratos e bebidas no menu e são sempre aplicados no final da conta.

10. PAGUE E VÁ EMBORA
Hoje em dia, pelo menos por aqui, a maioria das pessoas paga com cartão e os atendentes já vem com a máquina na mesa, mas se for pagar em dinheiro, você pode simplesmente deixar o valor da conta + gorjeta dentro da caderneta e ir embora. Há a confiança que você vai deixar o valor correto e ninguém vai verificar antes de você sair do estabelecimento.

Beijos e até a próxima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário