Viajando com crianças

O livro tá virado - mas vamos deixar quieto...hehe

Para quem nos acompanha aqui, no facebook or instagram, já sabe que gostamos de viajar sempre que é possível. Preferimos viajar a comprar coisas materiais, então compras não são o nosso forte, mas vontade de viajar sim. 
Mesmo com as chegada das filhotes peludos e das filhas, mantivemos a vontade de sair por aí, levando conosco não só malas, mas também a filharada. Os dogs já foram em algumas viagens curtas com a gente, quando fomos de carro, mas os dois são estressadinhos com outros cachorros, então eles ficam fora das viagens na maioria das vezes.
Enfim, com tudo isso, não nos considero especialistas em viagens, porque se for ver, só cobrimos uma parcela pequena de tantos lugares maravilhosos que esse mundão nos disponibiliza e cada família tem uma dinâmica diferente e crianças tem temperamentos e infinitas maneiras de lidar com lugares e experiências novas. Aqui neste post, vou tentar resumir o que funciona para nós e as nossas filhotas no momento (2 e 5 anos), ok?
*Escrevi um post similar, mas com dicas da nossa viagem a Espanha, no ano passado - veja aqui.


PREPARAÇÃO


Sempre que tem viagem marcada (e geralmente é com pouco tempo de antecedência), explicamos para Alice e agora Diana também, o que vai acontecer desde a saída de casa, as coisas que potencialmente iremos ver e tal. O quanto elas ficam sabendo que é o importante. Se vamos ver algo muito interessante para crianças, tipo Disney por exemplo, vamos largando dicas pouco a pouco para não criar muita ansiedade. Se serão passeios menos "infantis", aí explicamos que elas terão que ter paciência.
As malas são um caso à parte. Alice faz questão de levar uma mala de mão só dela (com todos os pertences, se possível), mas nem sempre quer levar nos aeroportos e hoteís. Diana, como irmã caçula que é, quer tudo igual que Alice quer. Acabamos levando duas malas de mão infantis, com os pertences delas em cada (roupas, calçados, poucos brinquedos). Funciona para nós, elas acabam se entretendo com as malas, subindo em cima etc. 
Nós somos adeptos a não despachar muitas malas, pois além de muitas vezes ser cobrado extra, não precisamos pegar carros ou taxis maiores na cidade de destino. Também nos obriga a selecionar melhor o que levar e sermos econômicos.

VÔO

Diego vinha atrás com 2 malas

 Alice viajou pela primeira vez aos 6 meses e Diana (pasmem!) com nem dois meses de idade. Na ocasião da Alice, o vôo foi para Paris, noturno e de mais horas e da Diana foram vários vôos, só que curtos. Nunca tivemos a sorte de conseguir aquele bassinete no avião, então a viagem foi sempre no braço e na coragem...hehe
A mão na roda pra mim é o sling, um ítem que vai em toda santa viagem, até agora na última, com Diana prestes a completar 2 anos. Ele me permite ter as mãos livres, carregando passaportes, a Alice, a bolsa, até mala de mão e tudo mais que for necessário. Também acho interessante na hora das sonecas ou de dormir, já que os pequenos até 2 anos não pagam e por consequência, não tem direito a assento.

Sempre uma aventura...

Outra artimanha é comprar um presentinho, mesmo que simples, para distrair a criançada durante o vôo. Pode ser um livro, um caderno de atividades, um brinquedinho ou até um pirulito. Funciona super bem.
E esse era o presentinho da Alice... 

Por último, recomendo ter um fone de ouvido infantil para as crianças poderem assistir filmes, desenhos etc, nas TV's do avião. Melhor, claro, se tiver uma para cada banco. Diana já fica assistindo, pelo menos por um tempo e os fones de ouvido de adultos não encaixam na orelha dela (nem da Alice). É importante, porém, verificar os fones de criança com volume pre-ajustado, pois os que testamos não são eficientes para se usar em avião (o som das turbinas e barulhos gerais, não deixam a criança escutar naaadaaa). Acabei de devolver um nesta semana por esta mesma razão.

TRANSPORTE

Mocinhas ocupadas

Quase sempre levamos carrinho para levar a Diana, porém as duas acabam alternando ainda nesta idade. Optamos por um modelo estilo guarda-chuva, pela praticidade e ele vai até a porta do avião, onde é guardado e retornado no mesmo local, quando o vôo termina.
Já os car seats (ou bebê-conforto), optamos por levar  de casa e despachar junto com a mala grande. Quando a Diana era ainda bem pequena e usava aquele bebê-conforto bem pequeno acoplado ao carrinho, optavamos por deixar na porta do avião e pegar no mesmo lugar, como os carrinhos guarda-chuva.
Também já optamos pelo carrinho maior e a plataforma auxiliar para a criança maior. Pra nós não funcionou tão bem, porque Alice queria usar o carrinho mais que a plataforma... hehe

Pendurada ou empurrada - cada uma no seu método de transporte

Levando os nossos próprios car seats nos permite economizar no aluguel do carro ou extra item no translado, já que as empresas aéreas não contam como mala e portanto é gratuito.

Car seat recém desembarcados e esperando para serem instalados no carro...

ACOMODAÇÕES


Curtindo o programa mais esperado do dia - por elas...

Sempre fazemos nossas reservas de hotel antecipadamente. Prezamos por locais perto de transporte público e/ou fácil acesso aos pontos turísticos (no caso de estarmos de carro). Mas não optamos por estar sempre no centro ou em hotéis chiques. Nada contra, mas geralmente tentamos manter nossas viagens o mais econômicas possível e, portanto, seguidamente ficamos em hotéis mais afastados.
Claro, com 4 pessoas não dá para pegar um quarto com cama única. Preferimos os com 2 camas de casal, que soluciona todos os nossos problemas... hehe

Diana na sua primeira viagem - com quase 2 meses e Alice, exausta, com quase 3 anos e meio.

Preferimos também hotéis com café da manhã incluso, já que criança com fome pela manhã é igual adulto sem café e ninguém aguenta.
Se o hotel tiver piscina, ponto pra ele, ainda mais se o destino não for tão infantil e a promessa do dia é elas poderem usar a piscina mais tarde (fato verídico).

PASSEIOS

Casa Batló em Barcelona

Pausa para enterter as viajantes VIP

Passeio muito legal no Aquário de Atlanta

Nem sempre nossas viagem giram em torno das crianças. Claro, que se o destino for Disney ou outro parque temático, a história é outra, mas lugares como as províncias marítimas canadenses tinham a maior parte das atrações não necessariamente voltada para as crianças.
A maneira que achamos para deixar todo mundo feliz é mesclar um pouco, visitar algum parquinho, um museu mais interativo, fazer brincadeiras ou inventar jogos com os lugares a serem visitados, para torná-los interessantes para as meninas. Mas nem sempre é fácil, confesso.

REFEIÇÕES

Restaurante The Bicicle Thief em Halifax

Quando a viagem é pela América do Norte, devo dizer que não me preocupo tanto com as refeições das meninas, pois a grande maioria dos restaurantes tem menu infantil, com coisas que elas gostam de comer. Para balancear com algo mais, digamos assim, saudável, compartilhamos com elas algumas porções dos nossos pratos (legumes etc), se for necessário. Raramente evitamos de comer algum lugar por causa delas. No Canadá, os ítens do menu infantil incluem geralmente pizza, massa, nuggets, hambúrger com porções de batata frita, legumes crus, arroz etc, além de vir com uma opção de bebida e uma pequena sobremesa.

No caminho seeempre tem um Tim Hortons ou um Dunkin Donuts (nesse caso).
Além do mais, tentamos tomar um café da manhã reforçado e ter lanchinhos ao longo do dia, como frutas e bolachas, que compramos em algum mercadinho local.

PACIÊNCIA

Salve salve restaurantes com wifi gratuita

Um dos ítens mais importantes para se levar em viagens com crianças. Nunca é demais e confesso que uso toda a que eu levo (e às vezes ainda falta..hehe), ainda mais agora com as duas maiorzinhas. O importante é lembrar que é algo novo e os pequenos, por vezes, demoram a se adaptar ao fuso horário, a nova temporária rotina e tantas coisas mais.
Nós sempre levamos tablets para momentos que nada mais resolve. Um filme, uma app, um jogo etc, acaba sendo um recurso que usamos nas viagens, trajetos de carro e avião.

E nós querendo ir embora... em Valencia

Bem, espero que eu tenha conseguido expressar a maioria das minhas "dicas" e me avisem se quiserem saber de algum outro detalhe, pelas mensagens do facebook Like a New Home Blog ou pelos comentários aqui no post.

Beijos e até a próxima.