A arte de imigrar

No aeroporto de Ottawa, no dia que chegamos como residentes permanentes no Canadá.

Assim como arte em outros campos, a arte de imigrar é sim, de certa forma, complexa e não pra todo mundo.
Hoje, após basicamente 9 anos e meio do momento que viramos imigrantes, lembrei daqueles primeiros dias e meses, quando chegamos com tantas coisas para aprender e tantas incertezas.
Estamos com reforma aqui em casa atualmente e depois de praticamente 30 dias sem fogão e 2 semanas acampados no andar subsolo da casa onde a lavanderia está fazendo vezes de cozinha, estamos lentamente voltando ao nosso ritmo normal. A cozinha aqui ainda não está pronta e por conta disso, tenho adaptado muitas das tarefas de culinária e tal. 
Lembrei, especificiamente do primeiro mês e meio, que ficamos hospedados em um estilo de apart-hotel aqui em Ottawa, com quarto, cozinha conjugada e banheiro. A cozinha constava de uma pequena pia, um fogareiro elétrico, um frigobar e um microondas, mas eu sempre tinha que cozinhar as coisas simples que fazíamos apoiada na pequena pia do banheiro, pois qualquer vapor da comida fazia desparar o alarme de incêndio do local. Parece bobo, mas são coisas que eu lembro até hoje, especialmente com a cozinha aqui semi-terminada.


Nosso primeiro "lar" no Canadá.

Nosso apart-hotel nos primeiros 45 dias no Canadá.

Com toda essa história acima, pensei em algumas características chave de quem chegou a conclusão que quer mudar, sendo para o Canadá ou outro país, coisas que volta e meia cruza nossas conversas com o pessoal que já passou por isso e está por aqui:

1. VIABILIDADE

Acho válido colocar na balança os prós e contras reais na hora de tomar uma decisão tão importante. Por que pode parecer fácil o cálculo: Canadá > país de primeiro mundo > segurança > qualidade de vida... em comparação com o Brasil, por exemplo. Mas nem tudo é preto no branco, nem tudo é uma adição ou subtração. 
Pense na sua profissão, nos custos de validar e poder exercer sua carreira nas mesmas condições que você está agora (e isso for possível - tem muitas vezes que nem é).
Pense na sua família, pequena ou grande, e o impacto que irá causar.
Pense em tudo que você precisa fazer para poder, de fato, mudar. Se desfazer de bens materiais, fechar contas em bancos, se afastar fisicamente de amigos e família etc.
Pense se você tem condições, emocionais e financeiras, de enfrentar alguns passos para atrás antes de voltar ao caminho para frente. 

São tantas coisas e o ideal é ser sincero, para as coisas fáceis e as mais difíceis também.

2. IDIOMA E BUROCRACIA


Digamos que a decisão de imigrar foi a ganhadora e você busca informações. A coisa ótima de hoje em dia são os inúuumeros blogs, websites e fontes de informação, imensamente mais abundante do que era há 10 anos. 
E, obviamente uma das perguntas que vai surgir é como lidar e iniciar o processo de imigração. Eu, apesar desse cantinho aqui ser pouco conhecido pelo mundo blogueiro famoso, recebo muitas perguntas de como imigrar ou como morar no Canadá.
E o que eu sempre começo dizendo para pessoas que me contactam é conferir o site de imigração do governo canadense. Parece o lugar menos motivante de começar, mas acredite, esse é o caminho. É burocrático e cheio de etapas, mas bem recompensador se realizado com perseverança. 
O site é em inglês (ou francês) e aí começa o desafio: se você está achando difícil entender o que está escrito lá, talvez seu próximo passo seja estudar mais inglês, aperfeiçoar mesmo, porque esse é o mínimo da realidade por aqui. Simples assim.

3. MERCADO DE TRABALHO

Você pode optar por vir para o Canadá a trabalho e ver se gosta/adapta e depois entrar no processo de imigração, mas eu recomendo ser realista a respeito. 
Para quem não sabe, empresas precisam patrocinar (fazer a papelada) para um candidato de fora do Canadá vir trabalhar por aqui. Não é possível só pedir o visto e dizer que vai chegar e procurar emprego. 
E empresas canadenses sofrem algumas burocracias para conseguir trazer alguém de fora, visto o governo canadense tem políticas protencionistas, tentando manter as vagas para residentes permanentes e cidadãos. Eu não sou especialista na área, mas as empresas precisam postar as vagas em diversos sites em todo o Canadá por um determinado tempo, demonstrando o interesse por tal função e se nenhum candidado local (país) suprir a necessidade da vaga e a empresa provar que não achou ninguém aqui, aí sim, pode patrocinar um candidato para o visto de trabalho.
E eu digo isso, contando que em muitas áreas, é muito difícil não achar alguém na área e a necessidade de contratar alguém de fora. Na área de tecnologia, é onde vemos mais casos de visto de trabalho e eu nunca soube de ninguém ser contratado desta forma na minha área (arquitetura).
Pontos essenciais (na minha modesta opinião) a se focar na questão trabalho no Canadá:

  • Traduzir seu currículo

Parece extremamente desnecessário falar isso, mas há quem mande currículos para empresas no Canadá em português! E quando eu digo traduzir, não é só usar o tradutor do Google e dar por encerrada essa árdua etapa..rsrs. Os padrões canadenses são outros e empresas desconsideram muitos candidatos pelos currículos não serem adequados ou não refletirem as coisas exigidas aqui. Alguém quer post sobre isso? Me avisem.

  • Estudar/pesquisar sites de emprego

Nem sempre vai ser para aplicar para vagas, mas muitas vezes você pode aprender o que está sendo atualmente exigido de candidatos no seu nível de cargo e/ou carreira e estar melhor preparado para quando sua vez chegar.

  •  Entrevistas de emprego por telefone

Estas tem sido bem populares por aqui. Muitas vezes os candidatos tem múltiplas entrevistas antes de serem contratados (aconteceu conosco e é praxe) e geralmente começam por telefone.
Agora a pergunta que não quer calar: você está preparado para uma entrevista por telefone, explicando eficientemente suas habilidades, experiências de trabalho em específico e planos para a carreira, em inglês ou francês somente? Se vender mesmo. Para alguém que não fala uma palavra sequer em português (ou espanhol) e contando o fator nervosismo (e aquele branco que teima em aparecer nas horas mais impróprias)?
Simule com alguém que possa te corrigir, pois se fazer entender eficientemente é essencial não só para o mercado de trabalho como para outras tantas tarefas imigrantes tem que passar no início (buscar informações, abrir conta em banco, obter documentos, ir a consultas médicas, falar na escola do filho ou na sua própria escola).


4. O DESAPEGO

Quando nós viemos, não tínhamos casa própria ou sequer casa, praticamente não tínhamos pertences materiais ou grandes e recompensadoras carreiras. Não estávamos vinculados a empresas familiares ou negócios a parte que nos traziam renda. Não tínhamos animais de estimação ou filhos. 
Considero que foi fácil nosso processo de mudar, fisicamente. Não tínhamos avançado muitos degraus na vida adulta ainda e por isso considero que nossa adaptação foi fácil.
Mas essa não é a realidade de todas as pessoas ou famílias com intenção de imigrar. Se desapegar de casa, apartamento, pertences, carros e tantas outras coisas deve ser considerado no processo todo. 

5. FAMÍLIA

 Tem gente que vem para o Canadá tendo familiares ou amigos próximos já estabelecidos, mas não é o caso da maioria das pessoas que vem. 
A distância da família é sim um dos maiores obstáculos de todo imigrante. A gente se acostuma com o fato de morar longe, mas é difícil mesmo depois de muitos anos.
Vale avaliar se é uma coisa que você está preparado para enfrentar.

Bem, muitas reflexões, volto a falar mais em outro post.
Beijos

8 comentários:

  1. Adorei! Gostaria sim de saber sobre o currículo. ;) Abraço! Vivian

    ResponderExcluir
  2. Morei 1 ano e 4 meses em Toronto, pra fazer um intercâmbio e amei a cidade.. Sempre penso em voltar, mas aí vem todos esses prós e contras que você mencionou e continuo pensando (confesso que todo dia... haha) sobre vir ou não vir.
    A verdade é que a minha vida vai ser sempre dividida entre esses 2 países!
    Amei o post, e também adoraria um sobre currículo :D

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Adorei! Realmente são muitas coisas a se pensar e muitooo planejamento.
    PArabéns, pelas conquistas!

    ResponderExcluir
  4. Olá Adriane!
    Descobri o post recentemente.. eu e meu namorado estamos no plano Canadá e esse post foi muito útil. São muitos pontos a considerar realmente :)
    Aguardo o post futuro sobre o currículo canadense e mais informações nessa etapa de procurar um novo emprego em um novo país.

    Vou fazer 'maratona' no blog e ler os posts mais antigos também.

    Um abraço!
    Mariel

    ResponderExcluir
  5. Que bacana seu blog! Mais uma da lista para eu ler, inclusive por terem crianças! Vamos conversar mais, estamos em processo de mudança para o Canadá e a cidade que mais nos interessou no conjunto foi Ottawa. Iremos praí em maio conhecer e explorar a cidade por 3 dias, além de Toronto (que não é nossa principal escolha, de longe). Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Guaciara! Obrigada!
      Espero que vcs aproveitem a visita de prospecção!
      Abraço e boa sorte!
      Adri

      Excluir
  6. Wagner Janissetti18/09/2017 00:44

    Eu já havia lido esse seu post no dia em que você o fez, mas, hoje vindo aqui no blog para buscar algumas dicas sobre Ottawa eu me deparei de novo com ele e, olha, li de novo e todo aquele filmes da decisão e imigrar, da imigração, das dificuldades, dos primeiros lugares, da foto de recem chegado do aeroporto e tudo mais, tudo, me veio a mente novamente.

    Um ano após chegar aqui ao Canadá isso meio que da um mix de orgulho por tudo aquilo que ja fizemos e conquistamos aqui e um viz de saudades, nostalgia. Obrigado pelo post :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal Wagner! Obrigada por curtir o post! Que o sucesso continue do seu lado!
      Abraço,
      Adri

      Excluir